Os (des)encantos da Tailândia


Os encantos de Tailândia? São muitos...

São barcos embalados no mar e desgastados do sal.
É fechar os olhos e sentir o calor respirar.
Pessoas com os pés descalços e o sorriso fácil.
É acordar com o sol a aquecer-me os ombros
Desdobrar cada ilha no balanço de numa mota.
É recarregar a gasolina com garrafas de litro.
O orgulho pelo boxe tailandês.
Pescar até acabar o isco.
Retirar um coco maduro de uma palmeira.
Refrescar o corpo com sumos de fruta fresca e bem espremida.
Ver bacalhaus a secar nas janelas.
Saborear peixe grelhado com uma frescura intensa.
Crianças prontas a acenar para a câmara.
Cascatas rápidas.
Pôr-do-sol lento.
É escrever com os dedos molhados...

Tenho recebido profundas opiniões sobre a Tailândia. Isso deixa-me muito feliz.
Por vezes, dizem-me que escrevo muito sobre o que é importante mudar aqui. E tenho me esquecido de referir os encantos deste lindo país.

Mas, para mim, é difícil estar na praia a apanhar banhos de sol e ver crianças a vender-me papagaios de papel.
Não consigo ficar satisfeita com isso, tirar uma fotografia com ela, comprar-lhe um brinquedo e voltar aos banhos de sol.

Preciso de perceber por que razão ela está ali. Preciso de respostas. Preciso de mudanças. Quero que esses meninos e essas meninas parem de vender brinquedos e brinquem. Que parem de arrastar as pernas cansadas pela areia e vão a correr para a escola.

Aqui a vida é vista assim, é vista com calma e liberdade. Sem grandes preocupações.
É andar de mota sem capacete; é ter massagens, roupas e tatuagens na mesma loja. E, mesmo assim, ter tempo para dormir uma sesta entre uma e outra venda.

E, apesar da urgência das mudanças que me consome, esta felicidade simples encanta-me...

3 comentários:

  1. Quero muito conhecer, obrigado por me fazeres sentir mais perto ;) *

    ResponderEliminar
  2. adorei a tailandia quando ai estive este ano! deves estar a adorar a aventura pela asia!

    ResponderEliminar